Aviso

Seja bem vindo(a), fique à vontade, porém, todas as sensações, pensamentos, sentimentos, intuições, premonições, mudanças, alterações de humor, somatizações, reações, etc, são de sua inteira responsabilidade. Todas as semelhanças são meras coincidências com suas projeções internas que você acredita existir e não tem nenhuma relação com a realidade. Faça o que quiser, cuidado e boa sorte!

Você pode receber novas publicações por e-mail, basta clicar aqui e se inscrever.

P.S.: Após se inscrever um e-mail de confirmação será enviado para você, clique no link que será enviado para seu e-mail, senão não vai funcionar...

Translate

O que é uma gravura?




Gravura
A gravura é uma técnica artística, na qual é possível imprimir várias cópias de uma imagem a partir de uma matriz.
Para se fazer uma gravura é necessário um suporte (matriz) na qual será feito o desenho. Esse suporte é entintado e a imagem é impressa no papel.A gravura é um múltiplo, isso quer dizer que pode-se tirar várias cópias de um mesmo desenho.
As gravuras têm valor artístico por serem totalmente originais e realizadas artesanalmente.
Foram realizadas por grandes artistas desde o final do século XV. O material da matriz é o que classifica o tipo da gravura.
As gravuras são assinadas, numeradas e datadas pelo próprio artista. Em geral a numeração aparece no rodapé da gravura, da seguinte forma: 1/100, por exemplo, indicando o número do exemplar (1) e quantas cópias foram produzidas daquela imagem (100).
Quanto menor for o numero do exemplar, mais valorizada é a gravura, pois as primeiras a serem feitas saíram de uma matriz menos desgastada. Muitas vezes as 2 ou 3 primeiras são reservadas para o artista, recebendo a sigla P.A. (Prova do Artista).
Na atualidade em que a tecnologia é usada para tudo, a gravura resgata o bom gosto pelo trabalho artístico, feito manualmente, sem mecanização e em um processo milenar. A gravura é uma forma acessível de ter adquirir uma obra original de um grande artista.
Tipos de matriz:
Xilogravura é a técnica mais antiga para produzir gravuras e seus princípios são muito simples. O artista retira de uma superfície plana de madeira (a matriz), com o auxílio de ferramentas de corte e entalhe (goivas) as partes que ele não quer que tenham cor na gravura. Após aplicar tinta na superfície, coloca um papel sobre a mesma. Ao aplicar pressão (com uma prensa) sobre essa folha a imagem é transferida para o papel.
Linoleogravura é uma técnica que assemelha-se ao entalhe da Xilogravura, no entanto, ao invés de madeira, a matriz é de material sintético – placas de borracha, chamadas “linóleo”. Esta técnica é mais recente do que a Xilogravura devido ao material de sua matriz, e foi muito utilizada pelos artistas modernos, como Picasso por exemplo.




Linoleogravura - Vida abaixo da Lâmpada - Pablo Picasso - 1962
Linoleogravura – Vida abaixo da Lâmpada – Pablo Picasso – 1962

Gravura em metal começou a ser utilizada na Europa no século XV. As matrizes podem ser feitas a partir de placas de cobre, zinco, alumínio ou latão. Estas são gravadas com incisão direta ou pelo uso de banhos de ácido. Água-forte, água-tinta, ponta seca são as técnicas mais usuais. A matriz recebe a tinta e uma prensa é utilizada para transferir a imagem para o papel.
Outras maneiras de fazer gravura em metal são água-forte e água-tinta , os produtos químicos conhecidos por mordentes (ácido nítrico , percloreto de ferro etc.) que atacam as áreas da matriz que não foram isoladas com verniz, criando assim outro tipo de concavidades, e consequentemente, efeitos visuais. Desta forma, o artista obtém gradações de tom e uma infinidade de texturas visuais. Consegue-se uma gama de tons que vai do mais claro, até o mais profundo escuro. Estes procedimentos podem ser usados em conjunto.
A técnica da Litografia parte do princípio químico que água e gordura se repelem. As imagens são desenhadas com material gorduroso sobre pedra calcária e com a aplicação de ácido sobre a mesma, a imagem é gravada. Assim como a gravura em metal, essa técnica também necessita de uma prensa para transferir para o papel a imagem gravada na pedra.




Litogravura - Palácio de São Cristovão residência oficial dos Imperadores do Brasil - Jean Baptiste Debret - século XIX
Litogravura – Palácio de São Cristovão residência oficial dos Imperadores do Brasil – Jean Baptiste Debret – século XIX

Serigrafia começa a ser aplicada mais frequentemente por artistas na segunda metade do século XX. Como as técnicas descritas acima, também a Serigrafia apresenta diversas técnicas de gravação de imagem. Uma delas é a gravação por processo fotográfico. Imagens são gravadas na tela de poliéster e com a utilização manual de um rodo com a tinta a imagem é transferida para o papel.

Comentários