Pescador de si mesmo

Luz Branca


Luz Negra


Título: Pescador de si mesmo

Técnica: Acrílica sob tela

Local e data de criação: Jaboticabal/SP, 28/11/19

Número de identificação: 00028-6

Dimensões: 30 cm x 20 cm​​​​​​​

Proveniência: Coleção particular de Mateus Campos Costa em Campo Grande-MS.

DESCRIÇÃO:

Obra inspirada no verso da música “Amor de Índio” de Milton Nascimento: “No verão sair pra pescar”.

Para muitos a vida é vista como um jogo, e que jogo seria este senão o grande jogo de se conhecer melhor, entre outros dependendo da fase...

Mas, acima de tudo a vida é para ser vivida. Porém, de que adianta passar pelas aventuras da vida protegido do contato com ela?

Isso tudo procurei representar com um belo dia de sol, bom para pescar, no qual o astronauta acostumado com seu isolamento do traje espacial busca pegar um peixe nas águas poluídas. Mas então, a luz negra revela o verdadeiro propósito do pescador, que é buscar a si mesmo.

O astronauta da luz do dia é a consciência desperta, e o astronauta revelado pela luz negra é o subconsciente. Os dois precisam um do outro e tentam pegar um no outro lampejos de consciência. O que remete também ao yin e yang e seus ciclos de equilíbrio eternos e infinitos.